quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Feliz 2009

Em 2009 - Supere-se...

Lembre-se que todos os obstáculos poderão ser utltrapassados, desde que se possua força e vontade para isso...

Votos de um 2009 cheio de novos desafios

domingo, 21 de dezembro de 2008

Boas Festas

A todos os visitantes deste Blog, em particular aos adultos que frequentam ou que já concluiram o processo RVCC, desejo um Feliz Natal e um Ano Novo de 2009 cheio de sucesso, saúde e novas oportunidades a vários níveis.

domingo, 26 de outubro de 2008

NG5 - TIC - DR1 (Comunicações Rádio)

____________________________________________________________________________________
DR1 - Comunicações Rádio
Entender a utilização das comunicações rádio em diversos contextos familiares e sociais
______________________________________________________

As tecnologias de informação e comunicação entraram definitivamente nas nossas vidas. Estamos cada vez mais dependentes delas, tanto no contexto privado como no local de trabalho, de tal modo que seria impossivel concebermos um mundo sem elas.

O telemóvel é, sem dúvida, uma dessas tecnologias de comunicação mais utilizadas. Se há cerca de uma década este dispositivo era dispensável, actualmente não conseguimos sair à rua sem ele.

No DR1 do NG - TIC podemos reflectir sobre as várias tecnologias de comunicação que utilizamos no contexto privado, relacionando-as com os perfis sociais dos individuos.

- - -

Tópicos de Exploração:


I - Identifico diferentes usos sociais das funcionalidades dos telemóveis, por exemplo, consoante as idades dos indivíduos (jogos versus agendas).
II - Compreendo o uso dos telemóveis como objectos simbólicos de status social.
III - Exploro evoluções futuras no uso dos telemóveis (por exemplo, biologização dos equipamentos) e discutir as suas consequências, positivas e negativas, nas relações e práticas sociais.

- - -
I - Identifico os componentes principais de um telemóvel: antena, ecrã de cristais líquidos, teclado, microfone, bateria, etc.
II - Compreendo o telemóvel como um equipamento celular, discutindo a relação entre a potência utilizada e o princípio de funcionamento.
III - Exploro as novas tecnologias de funcionamento do telemóvel, distinguindo as potencialidades e limitações das redes: GSM, GPRS, 3G.

- - -
I - Identifico com precisão a presença de ondas electromagnéticas em fenómenos naturais e em aplicações tecnológicas (a luz que chega do sol, ou as ondas de rádio e televisão que chegam aos receptores, por exemplo).
II - Compreendo as características gerais das ondas electromagnéticas: velocidade de propagação da onda, frequência, período e comprimento de onda.
III - Exploro as relações fundamentais entre as características gerais das ondas electromagnéticas: frequência, velocidade de propagação e comprimento de onda; campo E, campo B e direcção de propagação; amplitude e intensidade da onda (por exemplo, o comprimento de onda de uma onda electromagnética é tanto maior quanto menor for a frequência; a intensidade da onda é proporcional ao quadrado da amplitude; a direcção do campo E, do campo B e de propagação são perpendiculares entre si; etc.).
Vídeo sobre o Telemóvel






Sociedade: Actuo no quadro das predisposições para os usos e exploração de novas funcionalidades em objectos tecnologicamente avançados que fazem recurso às comunicações rádio, relacionando-os com os perfis sociais dos indivíduos.

Tecnologia: Actuo em situações da vida doméstica na resolução de problemas relacionados com as comunicações a distância (rádio, televisão, telemóvel, telefone fixo, etc.).

Ciência: Actuo na utilização das TIC na vida privada com conhecimento dos elementos básicos científicos nas comunicações rádio: ondas electromagnéticas, electrónica, etc.

domingo, 19 de outubro de 2008

Tecnologias de Informação e Comunicação

Tecnologias de Informação e Comunicação
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Identificar, compreender e intervir em situações onde as TIC sejam importantes no apoio à gestão do quotidiano, a facilidade de transmissão e difusão de informação socialmente controlada, reconhecendo que a relevância das TIC tem consequências na globalização das relações.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Imagem retirada de: http://www.ticrvcc.site.vu/


As TIC entraram definitivamente na vida de todos nós. Para comunicar com os nossos amigos e familiares, para trabalhar, para receber informação e formação, ou simplesmente para lazer.
-
DR1 - Entender a utilização das comunicações rádio em diversos contextos familiares e sociais.

Quais as tecnologias que utilizo no meu contexto privado, para comunicar com a minha familia e amigos? Compreendo a utilização do telemóvel como objecto simbólico de status social? Quais as suas consequências nas relações sociais? Compreendo quais os principais componentes de um telemóvel? Identifico com precisão a presença de ondas electromangéticas em aplicações tecnológicas?

DR2 - Perspectivar a interacção entre a evolução tecnológica e as mudanças nos contextos e qualificações profissionais.

Reconheço a importância da aquisição de competências em TIC? Identifico várias aplicações informáticas e compreendo as vantagens e desvantagens de vários programas e sistemas operativos para realização de determinadas funções? Relaciono a produtividade informática com a evolução tecnológica das aplicações? Actuo na vida profissional com conhecimentos básicos de funcionamento de equipamentos de suporte ás TIC?

DR3 - Discutir o impacto dos media na construção da opinião pública.

Quais os principais meios de comunicação nas sociedades contemporâneas? Equaciono o papel dos mass media na construção da opinião pública? Quais as tecnologia de suporte aos meios de comunicação? Compreendo o seu funcionamento e evolução?
Reconheço alguns conceitos e procedimentos cientificos utilizados na produção de informação? Exploro modos de constrangimento e regulação da promoção publicitária de determinados produtos, em função de problemas sociais, de saúde ou públicos alvo (ex.: tabaco, obesidade, medicamentos ...)?

DR4 - Relacionar a evolução das redes tecnológicas com as redes sociais.

Relaciono a evolução das redes tecnológicas com as redes sociais? Reconheço novas oportunidades de participação/desigualdades? Reflicto sobre a evolução das estruturas sociais e sobre a proliferação das redes socias e suas consequências? Compreendo as tecnologias de funcionamento de uma rede para internet?


domingo, 12 de outubro de 2008

Equipamentos e Sistemas Técnicos

No nosso dia a dia utilizamos diferentes equipamentos e sistemas técnicos, que nos facilitam as diversas actividades que efectuamos.
No contexto privado, utilizamos equipamentos que nos facilitam a realização de tarefas domésticas (aspirador, máquinas de lavar roupa e loiça, fogão ...), equipamentos para conservar e confeccionar alimentos (frigorífico, arca de congelar, micro-ondas, fogão ...), outros para lazer e entretenimento (TV, rádio, máquina fotográfica, aparelhagem...) até aos que utilizamos para deslocação, como o automóvel. Também no contexto profissional utilizamos equipamentos específicos que permitem realizar as várias tarefas que desempenhamos.


DR1 - Utilizo equipamentos e sistemas técnicos em contextos domésticos, identificando e compreendendo as suas normas de boa utilização e os seus diferentes utilizadores?

Quais os principios cientificos em que assenta o seu funcionamento? Quais as limitações de determinado(s) equipamento(s)? Utilizo-os correctamente e consulto o manual de instruções em caso de dúvida? Reconheço que existem desigualdades entre homens e mulheres na utilização desses equipamentos?


-------
DR2 - Utilizo equipamentos e sistemas técnicos em contextos profissionais, identificando e compreendendo as suas normas de boa utilização e seus impactos nas organizações?
-------

DR3 - Sou capaz de interagir com instituições, em situações diversificadas com base nos direitos e deveres de utilizadores e consumidores de equipamentos e sistemas técnicos?

• Relaciono-me com fabricantes, fornecedores e consumidores, negociando um bom serviço em termos de custo/qualidade
• Conheço as condições de garantia, reparação e assistência técnica dos diversos equipamentos
• Actuo recorrendo a princípios científicos na defesa dos direitos dos consumidores


-------
DR4 - Mobilizo conhecimentos e práticas para a compreensão e apropriação das transformações e evoluções técnicas e sociais?

Conheço as transformações e evoluções dos equipamentos e as suas consequências nas relações sociais?

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Sistemas Monetários e Financeiros

A tempestade financeira que atingiu a america continua a atravessar o atlântico na sua máxima força e ainda não se sabe quando terminará.

Na história, encontramos a Grande Depressão, também conhecida por Crise de 1929.
Com origem nos EUA, esta crise foi uma grande recessão que teve inicio no ano de 1929, estendendo-se pela década de 30. Foi considerada o pior e mais longo periodo de recessão económica do século XX, causando elevadas taxas de desemprego e quedas na produção, no produto interno bruto e preço das acções.

"Qualquer semelhança com a actualidade é pura coincidência"... (ou não!...)

1. O que é o 'subprime'?
É um crédito à habitação de alto risco que se destina a uma fatia da população com rendimentos baixos e uma situação económica instável. A única garantia exigida nestes empréstimos é o imóvel.

2. Há 'subprime' em Portugal?
O 'subprime' em Portugal está associado ao crédito ao consumo. As empresas de crédito por telefone, como por um exemplo, a Mediatis, Cofidis ou a Credial, compram o dinheiro ao banco central a baixo custo, com uma taxa de juro na ordem dos 4 por cento e concedem empréstimos a quase 30 por cento.

3. Como surgiu o 'subprime'?
O 'subprime' surgiu quando a Reserva Federal norte-americana (Fed) começou a baixar as taxas de juro para estimular o mercado imobiliário com o intuito de controlar os efeitos dos ataques terroristas do 11 de Setembro nos mercados de tecnologias. Mas em 2003, a criação de emprego e o investimento empresarial estavam em níveis baixos e a taxa de juro descia para 1%. Simultaneamente, as várias instituições bancárias deixaram de ser tão exigentes nas condições requeridas para conceder créditos. Quando a Fed começou a subir de novo os juros o problema estalou. Com juros mais altos acompanhados pela queda dos preços das casas, as famílias ficaram sem capacidade para saldar as suas dívidas.

4. Como se dá o contágio para a Europa?
Como os mercados estão interligados e há bancos e fundos europeus com investimentos em produtos das instituições norte-americanas que operam no segmento 'subprime', a crise de liquidez atingiu também a Europa.


In: Diário Económico; 13.07.08
Para mais informações sobre este tema:
Tópicos para Reflexão:

Sociedade:

  1. Identifico a existência de interacções, entre os sistemas monetários dos diversos países a nível mundial.

  2. Compreendo a intervenção de instâncias supra-nacionais, como a UE e o Banco Central Europeu, na valorização e desvalorização do Euro.

  3. Explorar como as poupanças ou o consumo individuais podem afectar a economia e consequentemente os níveis de bem-estar de uma sociedade

Tecnologia:

  1. Identifico a moeda como um intermediário geral de trocas, como unidade de conta (atribui valor às coisas), e como reserva de valor.

  2. Compreendo que os diferentes tipos de moeda - papel-moeda, moeda escritural (cheques), cartões de crédito, moeda electrónica (internet) devem ter em comum certas características (por exemplo, divisibilidade, durabilidade, aceitabilidade geral, manutenção de valor e dificuldade de falsificação).

  3. Exploro a crescente introdução de sistemas de segurança para validação da moeda como resposta à cada vez mais alargada acessibilidade de alta tecnologia à generalidade da população (por exemplo, introduzir o chip de segurança em resposta à disseminação de leitores de bandas magnéticas).
Ciência:
  1. Identifico a inflação como resultado da taxa de crescimento do nível de preços de um período para o outro e identificar taxas de variação da inflação.

  2. Compreendo as relações entre a taxa de inflação, o défice orçamental e a existência de uma moeda única no espaço europeu e as circunstâncias em que existe uma aceleração (desaceleração) da inflação.

  3. Exploro os critérios do pacto de estabilidade e crescimento no contexto da União Europeia e sua evolução, relacionando-os com os desempenhos das economias nacionais, sendo capaz de, usando modelos económicos/financeiros, estabelecer medidas tendo em vista metas ou diagnosticar causas de desvio relativamente a essas metas.






Grande Depressão (anos 30)



Sociedade: Actuo no sistema económico, monetário e financeiro, reconhecendo novos problemas e oportunidades geradas pelas interacções que se estabelecem a nível global, e em particular, no contexto da União Europeia, e seus efeitos no bem-estar e progresso social.

Tecnologia: Actuo ao nível das tecnologias relacionadas com o conhecimento e a segurança de diferentes meios de transacção e na comunicação com instituições económicas e financeiras.

Ciência: Actuo com conhecimento dos indicadores macroeconómicos tendo em conta que os problemas económicos envolvem politicas monetárias, e considerando a utilização de modelos matemáticos que permitam simular e prever diversas situações.

domingo, 14 de setembro de 2008

Vale a pena recordar ...


"Vivemos, hoje, em sociedades com graus de complexidade e de mudança sem precedentes na História, onde a ciência e a tecnologia desempenham um papel de crescente importância. A generalidade da população deve, pois, tanto na sua vida profissional como na sua vida pessoal e familiar, adaptar-se e saber lidar com novos contextos e desafios nos quais a ciência e a tecnologia são componentes essenciais, fontes de oportunidades ilimitadas mas também de crescentes riscos de exclusão, sobretudo para quem não possui competências nestes domínios. E as sociedades, no seu conjunto, têm que encontrar vias formais e informais de promover e reconhecer os saberes práticos dos seus cidadãos nestes campos, como forma de impulsionar a sua competitividade económica, o seu desenvolvimento sustentável, a sua cidadania democrática. Razões de sobra, pois, para que um referencial de competências-chave de nível secundário inclua uma Área de Sociedade, Tecnologia e Ciência.
Incluem-se nesta Área um conjunto de competências-chave que cobre campos científicos diversos que vão desde as ciências sociais e humanas (sociologia, história, antropologia, geografia) até às ciências naturais e exactas (física, química, biologia, ciências médicas, matemática), passando pelas ciências económicas e de gestão (economia, finanças, gestão, contabilidade e marketing)."
in Referencial de Competências-Chave, pág. 49


Neste mês de Setembro, em que muitos regressam para dar continuidade ao seu processo de reconhecimento de competências e outros acaitam o desafio de o iniciar, vale a pena recordar uma apresentação que publiquei nas primeiras semanas de "vida" deste blog.
Nesta apresentação podemos ver de que forma está estruturada a Área de Competência de STC e as suas várias competências.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

NG - Tecnologias de Informação e Comunicação (DR4)

DR4 - Redes e Tecnologias
__________________________________________________________

Relacionar a evolução das redes tecnológicas com as redes sociais.
__________________________________________________________


A Internet é uma das mais importantes invenções do último século. Uma excelente ferramenta para pesquisa de informação e para comunicação que entrou na vida de todos nós e da qual criámos alguma dependência: "O que seria de nós sem Internet?".


Chat's, Fóruns, Blogs, Email (Gmail; Hotmail, Portugalmail ...), Twitter, Youtube, Messenger, Google são algumas das ferramentas mais utilizadas e conceitos completamente desconhecidos (ou mesmo inexistentes) se fizermos uma pequena viagem a 10 ou 20 anos atrás. Vírus, Spams, Trojans, Malwares, Worms, Cavalos de Tróia são outros conceitos que chegaram com a difusão da Internet e os quais preferíamos não conhecer.
Um tema actual e presente na vida de todos nós.
--
Tópicos para Reflexão:
  • Identifico diferenças da internet relativamente a instrumentos anteriores de comunicação, em particular, os meios de comunicação de massas.
  • Relaciono a informação da Internet com estratégias diferenciadas de diversas entidades e actores que a produzem.
  • Exploro o efeito da Internet nas configurações sociais enquanto processo especifico de apropriação das tecnologias pelas populações (por exemplo, articulação entre redes tecnológicas e redes sociais).
  • Identifico a crescente oferta de redes para a utilização da Internet com ou sem fios (por exemplo, ISP tradicional, cabo, ADSL, WiFI, etc.).
  • Compreendo as tecnologias de funcionamento de uma rede para Internet (protocolos, velocidades, etc.).
  • Exploro a instalação de uma rede WiFi num computador portátil e sua configuração de acesso seguro (através dos modos WPA e WEP ou da atribuição de números de MAC das máquinas permitidas, por exemplo).
  • Identifico o bit (contracção das palavras “dígitos binários”), o byte, o sistema binário.
  • Compreendo a conversão do sistema binário para o sistema decimal (por exemplo, explicitando o significado de se usar uma ligação à rede a 512K, 1M, 2M, etc.).
  • Exploro a manipulação, transmissão e armazenamento de informação em código binário (por exemplo, utilizando o código ASCII para explicitar um nome, ou operando uma adição em lógica de Boole).
Numa "navegação" pela Internet, encontrei um vídeo que, pela sua relação com este tema, resolvi partilhar neste espaço.
-
"Este clip, publicado por Emília Miranda no blogue Netescrita, levanta a questão dos cuidados a ter com a utilização da Internet, realçando aspectos como a publicação de dados pessoais, fotografias, etc.
Destaco, também, o facto de aconselhar os adultos a navegar com os seus filhos e a deixar que os mais pequenos ensinem os pais a usar a Internet. É aqui que a Educação e Formação de Adultos assume um papel vital, na aproximação e valorização das gerações mais novas."
(in: Mittendo)


Vídeo: Cuidados a ter com a net




Sociedade: Actuo na sociedade da informação, identificando novas oportunidades de participação, bem como mecanismos de desigualdade, resultantes da (des)articulação entre redes tecnológicas e redes sociais.

Tecnologia: Actuo tendo em conta o desenvolvimento dos modos de transmissão de informação ao longo da História, relacionando-o com a evolução das estruturas sociais, a ocupação do território, etc. (por exemplo, a rede de televisão, a internet, etc.).

Ciência: Actuo em relação à evolução dos conhecimentos científicos na construção das redes (por exemplo, a estrutura celular dos telemóveis, o uso da base binária na internet).

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

NG - Urbanismo e Mobilidade (DR4)

DR4 - Mobilidades Locais e Globais
__________________________________________________

Reconhecer diferentes formas de mobilidade territorial – local e global – e sua evolução.
__________________________________________________

"Desde os século XII que os portugueses se começaram a espalhar pelo mundo. Primeiro fizeram-no pela Europa (Flandres, Inglaterra, França). A partir do século XV espalharam-se por África, para depois pela América, a seguir pela Ásia e a Oceania. Em todo o lado fundaram milhares de cidades, criaram vários países ou estiveram na origem da sua independência, ajudando-nos com a sua criatividade e trabalho a desenvolverem-se."


A história da emigração em Portugal confunde-se com a sua própria história. Desde os Descobrimentos que os Portugueses começaram a conquistar novos territórios a a povoá-los.

Após a década de 60, o crescimento europeu e a necessidade de reconstrução de alguns países europeus, aliada ao regime ditatorial que se fazia sentir, mudaram o rumo das migrações e transformaram os países europeus em pólos atractivos para milhares de portugueses.

Actualmente, com a melhoria das condições económicas, Portugal deixa de ser um país repulsivo e passa a ser um país atractivo para vários imigrantes oriundos, essencialmente, dos países do Leste Europeu, África e Brasil.
O perfil/qualificação do emigrante actual é diferente do emigrante da década de 60. A qualificação, os destinos e as razões que os levam a deslocar-se sofreram algumas alterações.


No entanto, as deslocações não se verificam apenas entre países. Verificamos que dentro das fronteiras a situação é semelhante: regiões atractivas vs. regiões repulsivas; a desertificação do interior vs. a saturação das regiões do litoral.
As mobilidades globais ou as mobilidades locais acabam por nos tocar directa ou indirectamente e faz-nos reflectir sobre as razões dessa deslocação e sobre as eventuais consequências a curto, médio e longo prazo.

Um tema interessante, com uma forte ligação à história de vida de todos nós. Uma reflexão para o final de um mês, onde emigrantes regressam ao país de origem para visitar os seus familiares.
--- --- ---
Tópicos de exploração:
  • Identifico fluxos migratórios importantes (de entrada e saída) verificados em Portugal no século XX;
  • Relaciono esses fluxos migratórios com estruturas de oportunidades (económicas, políticas e culturais) muito assimétricas entre regiões e países.
  • Exploro características dos pólos de atracção de população (regiões em expansão) e dos pólos de repulsão (regiões deprimidas).
  • Identifico os meios de transporte utilizados nas migrações ao longo dos tempos.
  • Compreendo as alterações dos custos e tempos de transporte na estrutura das migrações (locais de origem, períodos de retorno a casa, etc.).
  • Exploro a relação entre a evolução dos meios de transporte, as evoluções tecnológicas e as configurações das migrações efectuadas (por exemplo, as alterações nos casos das migrações sazonais entre países).
  • Identifico espécies migratórias no reino animal.
  • Relaciono essas migrações com dinâmicas do ecossistema (climáticas, recursos alimentares, reprodução, etc.).
  • Exploro formas de intervenção humana que alterando o equilíbrio do ecossistema interferem nos processos migratórios.


    Video You-Tube: Migração




Sociedade: Actuo em contextos interculturais, considerando os fluxos migratórios das populações e o êxodo rural como resultado de desigualdades económicas, culturais e/ou políticas, mas geradores também de processos de (re)construção identitária e de “descoberta do outro”.

Tecnologia: Actuo compreendendo o papel da evolução tecnológica como condicionante das mobilidades, quer ao nível dos transportes e comunicações quer ao nível de possibilidades de valorização profissional.

Ciência: Actuo tendo em conta as condições que levam às mobilidades no reino animal, em geral, (condições ambientais, de reprodução e outras) e nas populações humanas em particular (condições económicas, étnicas, políticas e outras) e no sentido de reconhecer os diferentes fluxos e relações entre variáveis através do tratamento estatístico de informação.

quinta-feira, 31 de julho de 2008

No fim de um ano: o Balanço

Boa Noite.

Abracei este processo há quase um ano - em Setembro de 2007. Durante estes meses foram vários os desafios. As dúvidas e as constantes incertezas na interpretação do complexo referencial (N.S.) pareciam por vezes obstáculos intransponíveis. No entanto, com a cooperação e ajuda de vários elementos relacionados com este processo, esses obstáculos foram superados.


A equipa CNO-Fundão em Dez.2007


Gostaria de agradecer a todos os elementos que caminharam neste percurso (incluindo os que entraram na equipa após a data da foto: Eduardo, Rosário e Diana). Gostaria de destacar duas pessoas excepcionais: em primero lugar, a Profissional Adelina Clemente pelo excelente trabalho e dedicação aos adultos, em segundo lugar ao "comandante", Prof. José Brito, pela excelente coordenação e por ter levado este navio a bom porto.

Um agradecimento aos avaliadores externos, João Lima e Leopoldo Rodrigues, pela partilha de informação e sugestões.

E finalmente, aos elementos mais importantes deste percurso: todos os adultos que eu acompanhei directa ou indirectamente, em particular a todos os que obtiveram certificação de nível secundário, pois neste processo de reconhecimento e de partilha de conhecimentos e experiências, a aprendizagem foi mútua:

As primeiras a cortar esta "meta":
  • Abril: Céu Pissarra e Fátima Mendes (grupo1);
Já em Julho:
  • Dia 09.07.2008: Artur Aguamel; Beatriz Branco; Irene Gonçalves; Joaquim Barroca; Luís Castanheira; Carlos Farinha; Carlos Figueira; Ana Paula Figueira; Helena Bento e Carlos Barrocas;
    Dia 18.07.2008: Cecília Nobre; José Girão e Matutina Daniel;
  • Dia 19.07.2008: Delfina Roque; Ana Maria Nascimento; Madalena Carvalho; António Carvalho e Isabel Moreira;
  • Dia 21.07.2008: Pedro Martins; Hélio Garcia; Bárbara Frazão; Hélder Mota; Cidália Morgadinho; Fernanda Morgadinho; Daniel Martins e Fátima Ambrósio; Fátima Santos; Irene Paula Lemos e Margarida Dias;
  • Dia 22.07.2008: Mª Manuela Duarte; Pedro Mesquita; Cristina Afonso e Isabel Almeida;
  • Dia 29.07.2008: Filomena Nunes; José Carlos Duarte; José Guerra e Cristina Esteves;

Também aos que obtiveram a validação parcial das suas competência e que optaram por continuar a sua aprendizagem em diversos cursos EFA (Patrícia Nunes, José Gravito, Pedro Nunes, Helena Marques, Nelson Magalhães, Nelson Costa, David Fernandes, Luís Matos e Hélder Vicente) desejo sucesso e felicidades.

A todos os que aqui foram mencionados e a tantos outros que partilharam as suas opiniões em diversos espaços na internet para uma maior compreensão deste processo...

Obrigado!

terça-feira, 22 de julho de 2008

Aquecimento Global

As alterações climáticas através de dois filmes:

"Uma verdade inconveniente" (An inconvenient truth), segundo Al Gore



"Um dia depois de amanhã" (The day After Tomorrow),

quinta-feira, 10 de julho de 2008

NG - Urbanismo e Mobilidade (DR1)

DR1 - Construção e Arquitectura

Associar conceitos de construção e arquitectura à integração social e à melhoria do bem-estar individual.


Imagem retirada do blog:
"Todos têm direito, para si e para a sua família, a uma habitação de dimensão adequada, em condições de higiene e conforto e que preserve a intimidade pessoal e a privacidade familiar."

(Artº 65 - Constituição da Republica Portuguesa)

Deixo, para reflexão, um tema do Núcleo Gerador "Urbanismo e Mobilidade" e o artigo 65 da CRP:


  • Identifico diferentes espaços funcionais nos alojamentos em função de tradições socioculturais e/ou estilos de vida?
  • Exploro tecnologias inovadoras utilizadas nos materiais de construção e reflicto sobre a introdução de novos materiais como meio para melhorar as condições de habitabilidade e durabilidade das habitações e redução de custos.
  • Reflicto sobre a forma como a ciência infere na evolução de novos materiais de construção (Ex.: tintas ecológicas, isolantes reciclados).
  • Sou capaz de estimar quantidades de materiais a utilizar em função das áreas e exploro os diferentes tipos de materiais, adoptando aqueles que melhor se adequam a certas especificidades (p.ex.: resistência ao esforço)




Sociedade: Actuo no plano da construção e arquitectura dos espaços físicos, identificando diferentes tipos de alojamento familiar associados a modos de vida particulares, no sentido da melhoria do bem-estar social, da qualidade de vida e da integração sociocultural.

Tecnologia: Actuo ao nível das tecnologias inovadoras de construção na optimização das condições de habitabilidade e arquitectura ajustadas (por exemplo, os materiais isolantes térmicos e acústicos, arquitecturas ecológicas, promoção de acessibilidades).

Ciência: Actuo ao nível das propriedades dos materiais, tradicionais e modernos, em função das necessidades e qualidade da construção (por exemplo, tintas ecológicas, isolantes reciclados, etc.) e/ou ao nível das quantidades desses materiais em função das áreas ou volumes em que serão utilizados.

terça-feira, 1 de julho de 2008

A criança que calou o mundo ...

Este vídeo mostra uma criança Canadiana que discursou na conferência das Nações Unidas, no Rio de Janeiro, chamando a atenção dos adultos para os erros sistemáticos que nós, humanos, temos feito ao Mundo.

Uma intervenção simplesmente genial...

NG - Ambiente e Sustentabilidade (DR2)

DR2 - Resíduos e Reciclagens


Incluir processos de valorização e tratamento de resíduos nas medidas de segurança e preservação ambiental


Deixo, para reflexão, um vídeo sobre o tema "Resíduos e Reciclagens".


O que é que cada um de nós faz, nos diferentes contextos em que estamos inseridos, para minimizar a poluição e melhorar a segurança ambiental e a qualidade de vida?


Reconheço as consequências ambientais resultantes do não tratamento dos resíduos?



Sociedade: Actuo a nível individual, tendo em conta as diferentes ocupações profissionais relacionadas com a recolha e tratamento de resíduos e as posições ocupadas na estrutura social, no sentido de incrementar trajectórias de mobilidade social ascendente.



Tecnologia: Actuo sobre a produção, tratamento e valorização de resíduos numa base técnico-profissional de forma a detectar melhorias possíveis e meios de as concretizar, com vista à redução da poluição e dos consumos energéticos, e do aumento da segurança.



Ciência: Actuo relativamente aos princípios científicos químicos, físicos e biológicos em que assenta a reciclagem e o tratamento e valorização de resíduos.

sábado, 7 de junho de 2008

NG - Saberes Fundamentais (DR4)

DR4 - Leis e Modelos Científicos
__________________________________________________

Mobilizar o saber formal na interpretação de leis e modelos científicos num contexto de coexistência de estabilidade e mudança.

__________________________________________________


"Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma".

Lavoisier


Vivemos numa sociedade em constante evolução, com vários modelos, grupos e instituições com características únicas (relacionadas com processos tecnológicos, económicos, culturais e políticos) , mas em constante interacção.

A evolução tecnológica tem consequências no desenvolvimento social e permite-nos compreender melhor o universo, do micro ao macro cosmo.



Deixo um vídeo que nos leva a uma pequena viagem no universo, reconhecendo que esta viagem só é possível graças à evolução da tecnologia e da própria ciência.


Solicito a participação de todos para descodificação deste tema (o mais complexo do referencial).

Vídeo: Uma viagem ao universo






Sociedade: Actuo perante fenómenos sociais complexos, concebendo-os como resultado de evoluções históricas e adoptando configurações diversas consoante as sociedades e/ou os grupos sociais.


Tecnologia: Actuo de forma a compreender que as soluções técnicas têm validade limitada e que têm tendência a mudar, tal como muda a ciência e a própria sociedade.


Ciência: Actuo tendo em conta que se vive num mundo onde coexistem leis científicas de invariância (que valorizam a estabilidade) e leis científicas de evolução (que apontam para a mudança), reconhecendo, em particular e no caso da matemática, esta dualidade nos invariantes geométricos e nos aspectos dinâmicos associados à noção de derivada.



Deixe o seu comentário sobre este tema


sexta-feira, 23 de maio de 2008

NG - Comunicações e Rádio

__________________________________________________________________
DR1 - Comunicações Rádio
Entender a utilização das comunicações rádio em diversos contextos familiares e sociais.
______________________________________________
As tecnologias de informação e comunicação entraram definitivamente nas nossas vidas. Estamos cada vez mais dependentes delas, tanto no contexto privado como no local de trabalho.
O telemóvel é, sem dúvida, uma dessas tecnologias de comunicação mais utilizadas e já não conseguimos sair à rua sem ele.
No DR1 do NG - TIC podemos reflectir sobre as várias tecnologias de comunicação que utilizamos no contexto privado, relacionando-as com os perfis sociais dos individuos.
-
Vídeo sobre o Telemóvel




Sociedade: Actuo no quadro das predisposições para os usos e exploração de novas funcionalidades em objectos tecnologicamente avançados que fazem recurso às comunicações rádio, relacionando-os com os perfis sociais dos indivíduos.

Tecnologia: Actuo em situações da vida doméstica na resolução de problemas relacionados com as comunicações a distância (rádio, televisão, telemóvel, telefone fixo, etc.).

Ciência: Actuo na utilização das TIC na vida privada com conhecimento dos elementos básicos científicos nas comunicações rádio: ondas electromagnéticas, electrónica, etc.

terça-feira, 20 de maio de 2008

NG - Tecnologias de Informação e Comunicação (DR3)

_________________________________________________________________
DR3 - Media e Informação

Discutir o impacto dos media na construção da opinião pública.
_________________________________________________________________

Numa passagem pelo site http://www.coesis.org/, encontrei um texto (poderá ser visto aqui) e que nos faz reflectir sobre sobre o impacto dos media (neste caso, o pequeno ecrã) tem na sociedade e na construção da opinião pública:



"A televisão trouxe magia, trouxe o mundo para dentro das nossas casas, mas ao mesmo tempo, tirou-nos parte do convívio familiar e levou-nos muitas vezes a acreditar em coisas que não correspondiam à verdade

Apesar de tudo, sabemos que a televisão tem um papel muito importante na formação das nossas opiniões, mas há no entanto, alguns cuidados que devemos ter..
-
“ - Já reparaste que as televisões dão cada vez mais destaque aos crimes violentos e menos destaque às coisas positivas que acontecem na sociedade? A minha avó, por exemplo, quando vou lá a casa só me fala nas coisas trágicas que vê na televisão.

- Infelizmente é assim. As televisões, ou melhor, os canais de televisão, têm que vencer as guerras de audiências e, por isso, quanto mais sangue houver mais isso desperta o interesse das pessoas.

- E isso é bom ou é mau?

-- Claro que é mau porque desloca a atenção de quem está em casa a ver televisão para casos isolados, e normalmente deixa de fora as explicações e as causas para o que acontece. Isto porque, o importante é apenas atrair mais e mais telespectadores. E é assim que se vai reforçando a ideia de que a criminalidade não pára de aumentar e que vivemos sempre no perigo.
-
- Mas se é a realidade...
-
- Não é a realidade, é apenas uma parte da realidade. Claro que a criminalidade e a insegurança dos cidadãos têm aumentado, mas mostrar só isso é mostrar somente uma parte da realidade. Nada nem ninguém consegue mostrar toda a realidade ou contar toda a verdade, porque as pessoas, como são diferentes entre si, têm tendência a ver também a realidade de formas diferentes. Por isso é que nos tribunais é preciso ouvir testemunhas de ambas as partes, as que defendem e as que acusam.
-
- Queres então dizer-me que nem sempre é mostrada a parte mais importante da realidade?
-
- Acho que sim. Olha o exemplo da tua avó: ela passa cinco ou seis horas por dia em frente à televisão e, para ela, aquela é a única janela que se abre sobre o mundo. Portugal é dos países da Europa onde as pessoas vêem mais televisão por dia. Quem vê muitas horas de televisão pensa que tem o mundo todo dentro de casa, mas engana-se, porque o mundo é muito grande e maior do que mostram na televisão.

- Então o que devemos fazer?
- Devemos procurar estar sempre informados sobre o mundo que nos rodeia, mas ter sempre um espírito aberto e crítico para conseguirmos formar as nossas próprias opiniões.”

in: Coesis - Adaptado de "A Cidadania explicada aos jovens... e aos outros" (José Letria)"



Sociedade: Actuo recorrendo aos meios de comunicação de massas, compreendendo os diversos actores e interesses envolvidos na sua produção e o poder da informação nas sociedades modernas.

Tecnologia: Actuo em relação à tecnologia de suporte aos meios de comunicação e disseminação de informação (por exemplo, as estações de televisão, estações de rádio, as agências de informação, os satélites, etc.).

Ciência: Actuo tendo em conta a evolução dos meios de informação e comunicação de massas, reconhecendo alguns novos conceitos e procedimentos científicos utilizados na produção de informação.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

NG - Saberes Fundamentais (DR1)

DR1 - O Elemento

Mobilizar o saber formal para o reconhecimento do elemento como uma unidade estrutural e organizativa.


“Todo o ser humano é diferente de mim e único no universo; não sou eu, por conseguinte, quem tem de reflectir por ele, não sou eu quem sabe o que é melhor para ele, não sou eu quem tem de lhe traçar o caminho; com ele só tenho o direito, que é ao mesmo tempo um dever: o de o ajudar a ser ele próprio.”

Agostinho da Silva


A sociedade é composta por diversos individuos, cada um com características específicas, variáveis de acordo com a sua idade, sexo, escolaridade, etnia ...

Nesse contexto de diversidade sociocultural aplico princípios de tolerância e igualdade, considerando o conceito de "acção social"? Exploro formas de integração de individuos em situação de exclusão social por serem portadores de características específicas: idosos, toxicodependentes, individuos portadores de deficiência...?

Cada individuo possuí características específicas, um código genético que herda dos seus progenitores, metade pelo lado do pai e a outra metade pela mãe, e que se reflecte nas diferenças de cada individuo, fazendo dele uma pessoa única, com características únicas que se encontram nas amostras do seu ADN.

Compreendo a utilização de análises ao ADN como forma de identificação de um individuo (tais como análises de criminologia, determinação de paternidade, doenças genéticas...)
__
Vídeo Brasileiro sobre Exclusão


Sociedade: Actuo de modo eficaz em processos de integração social dos elementos de uma dada sociedade, compreendendo o conceito de acção social (no sentido weberiano) como atribuição de sentido às práticas e características individuais.

Tecnologia: Actuo ao nível da intervenção da tecnologia na compreensão ou utilização das estruturas elementares (por exemplo, o papel do protão na imagiologia por NMR, utilizações correntes de análises de DNA, etc.).

Ciência: Actuo no sentido de compreender a base científica de diferentes estruturas elementares (por exemplo, o núcleo atómico, o átomo, a molécula, o DNA, a célula, a unidade como principio formador dos números, os processos geradores de sequências, etc.).

domingo, 4 de maio de 2008

NG - Gestão e Economia (DR3)

DR3 - Sistemas Monetários e Financeiros
Perspectivar a influência dos sistemas monetários e financeiros na economia e na sociedade.
-
Neste tema pretende-se que reflictam sobre a interacção entre os sistemas monetários e financeiros dos diversos países, reconhecendo a necessidade de intervenção de instâncias supranacionais na adopção de medidas que permitam manter a estabilidade económica.
Na nossa memória ainda estão alguns acontecimentos que marcaram a economia mundial, no século XXI, como é o caso da crise do Subprime (EUA - ano de 2007) e os ataques do dia 11 de Setembro.
No entanto, a história económica do século XX fica marcada pela Grande Depressão (ou crise de 1929) e pelo surgimento da U.E.
Deixo hoje, um vídeo do Banco Central Europeu sobre inflação e estabilidade de preços. Não obstante o facto de ser um pouco infantil, é um vídeo bastante esclarecedor das medidas adoptadas pelo BCE.
-
Vídeo: Estabilidade de Preços

Vídeo de Comemoração dos 50 Anos de UE:

Sociedade: Actuo no sistema económico, monetário e financeiro, reconhecendo novos problemas e oportunidades geradas pelas interacções que se estabelecem a nível global, e em particular, no contexto da União Europeia, e seus efeitos no bem-estar e progresso social.

Tecnologia: Actuo ao nível das tecnologias relacionadas com o conhecimento e a segurança de diferentes meios de transacção e na comunicação com instituições económicas e financeiras.

Ciência: Actuo com conhecimento dos indicadores macroeconómicos tendo em conta que os problemas económicos envolvem politicas monetárias, e considerando a utilização de modelos matemáticos que permitam simular e prever diversas situações.

Conceitos Chave: U.E. (União Europeia); Bolsa; (des)valorização do Euro; tipos de moeda; taxa de inflação; défice orçamental; PEC (Pacto de Estabilidade e Crescimento); ...

sábado, 3 de maio de 2008

Aprendizagem Informal - Alanis Morissete

Um dos conceitos-chave deste processo é o de aprendizagem informal:

"Aprendizagem decorrente das actividades da vida quotidiana, relacionadas com o trabalho, a família ou o lazer. Não é estruturada (em termos de objectivos, duração e recursos) e não conduz, radicionalmente, à certificação. Pode ser intencional mas, na maior parte dos casos, é não intencional (carácter fortuito/aleatório) do ponto de vista do aprendente (Comissão Europeia, 2001)". (Referencial de Competências Chave - pág.81)

No Blog da Formação encontramos esta música que nos fala desta "aprendizagem informal".


Viver é aprender - Vídeo
A aprendizagem informal na voz de Alanis Morissette (You Learn).



You live you learn.............(Você vive, você aprende)
You love you learn............
(você ama, você aprende)
You cry you learn..............(Você chora, você aprende)
You lose you learn.............
(você perde, você aprende)
You bleed you learn..........(Você sangra, você aprende)
You scream you learn.......
(Você grita, você aprende)
You grieve you learn.........(Você se aflige, você aprende)
You choke you learn.........(V
ocê se sufoca, você aprende)
You laugh you learn..........(Você ri, você aprende)
You choose you learn........(Você escolhe, você aprende)
You pray you learn............
(Você reza, você aprende)
You ask you learn.............(você pergunta, você aprende)
You live you learn............(Você vive, você aprende)

Tradução: Letras Terra

terça-feira, 29 de abril de 2008

NG - Saúde (DR3)

DR3 - Medicinas e Medicação

Reconhecer os direitos e deveres dos cidadãos e o papel da componente científica e técnica na tomada de decisões racionais relativamente à saúde.

Numa altura em que a comunicação social nos transmite informação relativa à retirada de mercado de suplementos alimentares (Depuralina e Herbalife), levam-nos a reflectir sobre as decisões que tomamos relativamente à saúde.

"Portugal não tem registo de qualquer reacção adversa provocada pelos produtos Herbalife, apurou o JN junto da subdirectora-geral da Saúde. Em Espanha, as autoridades sanitárias desaconselharam o consumo na sequência de nove casos de toxicidade hepática que se suspeita estarem associados a estes suplementos. (...) Em comunicado, refere que há registo de pelo menos nove casos de suspeita de reacções adversas aos produtos da marca Herbalife, ocorridos entre 2003 e 2007. Tal como a Depuralina - que foi suspensa em Portugal e depois em Espanha -, os produtos Herbalife integram-se na categoria de suplementos alimentares. Não são medicamentos, pelo que a sua comercialização está apenas dependente de uma comunicação à entidade competente pela supervisão desses produtos."

Fonte: JN

Anúncio: Medicamentos Genéricos



Sociedade: Actuo no campo da saúde, entendendo-o como um campo composto por instituições com competências especializadas na produção e distribuição de medicamentos, mas incluindo também áreas de liberdade, desigualdade e conflito.


Tecnologia: Actuo no relacionamento com serviços e sistemas de saúde reconhecendo as possibilidades de escolha e os limites da auto – medicação, bem como intervindo no sentido de conhecer a fiabilidade de técnicas e produtos para a saúde.


Ciência: Actuo na promoção e salvaguarda da saúde recorrendo a conhecimentos científicos para a tomada de posição em debates de interesse público sobre problemas da saúde (planeamento familiar, terapêuticas naturais, toxicodependência, etc.), suportando essas posições em análises matemáticas que permitam perspectivar medidas de forma consistente.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Equipamentos e Sistemas Técnicos

No nosso dia a dia utilizamos diferentes equipamentos e sistemas técnicos, que nos facilitam as diversas actividades que efectuamos.

No contexto privado, utilizamos equipamentos que nos facilitam a realização de tarefas domésticas (aspirador, máquinas de lavar roupa e loiça, fogão ...), equipamentos para conservar e confeccionar alimentos (frigorífico, arca de congelar, micro-ondas, fogão ...), outros para lazer e entretenimento (TV, rádio, máquina fotográfica, aparelhagem...) até aos que utilizamos para deslocação, como o automóvel. Também no contexto profissional utilizamos equipamentos específicos que permitem realizar as várias tarefas que desempenhamos.

DR1 - Utilizo equipamentos e sistemas técnicos em contextos domésticos, identificando e compreendendo as suas normas de boa utilização e os seus diferentes utilizadores?

DR2 - Utilizo equipamentos e sistemas técnicos em contextos profissionais, identificando e compreendendo as suas normas de boa utilização e seus impactos nas organizações?

DR3 - Sou capaz de interagir com instituições, em situações diversificadas com base nos direitos e deveres de utilizadores e consumidores de equipamentos e sistemas técnicos?

DR4 - Mobilizo conhecimentos e práticas para a compreensão e apropriação das transformações e evoluções técnicas e sociais?


terça-feira, 22 de abril de 2008

Dia Mundial da Terra

Comemora-se hoje (22 de Abril) o Dia Mundial da Terra.

"As notícias sobre o planeta não são as melhores no dia em que se comemora o Dia Mundial da Terra. A temperatura em todo o mundo está a aumentar graças ao dióxido de carbono que os homens enviam todos os dias para a atmosfera.

O alerta chega da comunidade científica que é bem clara ao afirmar que este aumento de temperatura irá provocar até ao ano de 2050 a extinção de milhares de espécies animais.

Mas há mais avisos e todos eles preocupantes. As águas dos oceanos vão subir e provocar grandes inundações em diversos pontos do planeta e daí que muitas das cidades que se encontram em zonas costeiras sejam alvo de risco sério de destruição.

Outro dos alertas que surge neste Dia Mundial da Terra tem a ver com as doenças tropicais que devem aumentar em larga escala e dar origem a um surto de epidemias, mesmo em regiões onde este tipo de doenças já foi erradicado. "

Fonte: RTP


São inúmeros os alertas acerca do aquecimento global. Já foram feitos filmes (Um dia depois de amanhã) e documentários (Uma Verdade Inconveniente) para sensibilizar a população para o problema que atinge o nosso planeta.

Deixo alguns vídeos brasileiros com a Carta da Terra, que poderão ser um excelente recurso para o núcleo gerador de Ambiente e Sustentabilidade, bem como para vários temas de Cidadania e Profissionalidade:

Carta da Terra - Parte 1




Carta da Terra - Parte 2




Carta da Terra - Parte 3




http://www.chaosobral.org/carta_daterra.htm

As nossa atitudes, nos diferentes contextos, podem mudar o planeta.

terça-feira, 15 de abril de 2008

NG - Saúde (DR2)

DR2 - Riscos e Comportamentos Saudáveis

Promover comportamentos saudáveis e medidas de segurança e prevenção de riscos, em contexto profissional.

Todas as actividades profissionais comportam riscos, potenciadores de doenças profissionais. Quais os comportamentos/equipamentos que devo adoptar no sentido de minimizar esses riscos? Quais as consequências, a médio e longo prazo, decorrentes da exposição a um determinado factor de risco?

Sociedade: Actuo face aos sistemas de protecção social como elementos do Estado -Providência, identificando as suas diferentes consequências no acesso dos cidadãos aos cuidados de saúde, tendo em conta os riscos de determinadas profissões.

Tecnologia: Actuo conscientemente na manipulação de equipamentos e materiais e na preservação e melhoramento das condições ambientais no local de trabalho tendo em conta a preservação e promoção da saúde.

Ciência: Actuo na prevenção de doenças e acidentes profissionais, com base no conhecimento do modo de actuação no organismo de factores potenciadores de desequilíbrios e na forma de adequar o trabalho às características e capacidades do trabalhador.

Conceitos-chave: doença profissional; sistemas de protecção social; símbolos de segurança; EPI's (equipamentos de protecção individual); ergonomia; alterações orgânicas.

NG - Gestão e Economia (DR2)

DR2 - Empresas, Organizações e Modelos de Gestão

Interagir com empresas, instituições e organizações mobilizando conhecimentos de gestão de recursos

O mundo empresarial poderá ser comparado a um campo de batalha, onde os concorrentes são os inimigos e é necessário estabelecer estratégias para enfrentar a batalha. Enquanto que a estratégia militar é a conquista de um determinado território, a estratégia empresarial é a conquista de quota de mercado.
Qual a estrutura organizacional da minha empresa? Quais as estratégias que eu equaciono/sugiro para a tornar mais eficiente? Como é a minha relação com instituições exteriores?




Sociedade: Actuo de forma inovadora em contextos profissionais distintos, identificando diferentes modelos de gestão e estruturas organizacionais e aplicando-os no sentido da eficácia produtiva e relacional das organizações e do bem-estar dos trabalhadores.

Tecnologia: Actuo em situações de gestão profissional ou de contencioso com instituições exteriores, recorrendo à experiência prática de contabilidade e de direito fiscal.

Ciência: Actuo em situações da vida profissional que envolvam a gestão de recursos técnicos e humanos, bem como novas estratégias para implementação da eficácia organizacional, considerando o papel que a programação linear e a optimização podem ter neste contexto.

Conceitos Chave: Organograma; Componentes do Ordenado (vencimento base; subs. alimentação; subs. férias; contribuição seg. social; retenção IRS); trabalhadores dependentes vs. trabalhadores independentes; recursos humanos; dimensão; estratégias de eficácia e eficiência.