quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Sistemas Monetários e Financeiros

A tempestade financeira que atingiu a america continua a atravessar o atlântico na sua máxima força e ainda não se sabe quando terminará.

Na história, encontramos a Grande Depressão, também conhecida por Crise de 1929.
Com origem nos EUA, esta crise foi uma grande recessão que teve inicio no ano de 1929, estendendo-se pela década de 30. Foi considerada o pior e mais longo periodo de recessão económica do século XX, causando elevadas taxas de desemprego e quedas na produção, no produto interno bruto e preço das acções.

"Qualquer semelhança com a actualidade é pura coincidência"... (ou não!...)

1. O que é o 'subprime'?
É um crédito à habitação de alto risco que se destina a uma fatia da população com rendimentos baixos e uma situação económica instável. A única garantia exigida nestes empréstimos é o imóvel.

2. Há 'subprime' em Portugal?
O 'subprime' em Portugal está associado ao crédito ao consumo. As empresas de crédito por telefone, como por um exemplo, a Mediatis, Cofidis ou a Credial, compram o dinheiro ao banco central a baixo custo, com uma taxa de juro na ordem dos 4 por cento e concedem empréstimos a quase 30 por cento.

3. Como surgiu o 'subprime'?
O 'subprime' surgiu quando a Reserva Federal norte-americana (Fed) começou a baixar as taxas de juro para estimular o mercado imobiliário com o intuito de controlar os efeitos dos ataques terroristas do 11 de Setembro nos mercados de tecnologias. Mas em 2003, a criação de emprego e o investimento empresarial estavam em níveis baixos e a taxa de juro descia para 1%. Simultaneamente, as várias instituições bancárias deixaram de ser tão exigentes nas condições requeridas para conceder créditos. Quando a Fed começou a subir de novo os juros o problema estalou. Com juros mais altos acompanhados pela queda dos preços das casas, as famílias ficaram sem capacidade para saldar as suas dívidas.

4. Como se dá o contágio para a Europa?
Como os mercados estão interligados e há bancos e fundos europeus com investimentos em produtos das instituições norte-americanas que operam no segmento 'subprime', a crise de liquidez atingiu também a Europa.


In: Diário Económico; 13.07.08
Para mais informações sobre este tema:
Tópicos para Reflexão:

Sociedade:

  1. Identifico a existência de interacções, entre os sistemas monetários dos diversos países a nível mundial.

  2. Compreendo a intervenção de instâncias supra-nacionais, como a UE e o Banco Central Europeu, na valorização e desvalorização do Euro.

  3. Explorar como as poupanças ou o consumo individuais podem afectar a economia e consequentemente os níveis de bem-estar de uma sociedade

Tecnologia:

  1. Identifico a moeda como um intermediário geral de trocas, como unidade de conta (atribui valor às coisas), e como reserva de valor.

  2. Compreendo que os diferentes tipos de moeda - papel-moeda, moeda escritural (cheques), cartões de crédito, moeda electrónica (internet) devem ter em comum certas características (por exemplo, divisibilidade, durabilidade, aceitabilidade geral, manutenção de valor e dificuldade de falsificação).

  3. Exploro a crescente introdução de sistemas de segurança para validação da moeda como resposta à cada vez mais alargada acessibilidade de alta tecnologia à generalidade da população (por exemplo, introduzir o chip de segurança em resposta à disseminação de leitores de bandas magnéticas).
Ciência:
  1. Identifico a inflação como resultado da taxa de crescimento do nível de preços de um período para o outro e identificar taxas de variação da inflação.

  2. Compreendo as relações entre a taxa de inflação, o défice orçamental e a existência de uma moeda única no espaço europeu e as circunstâncias em que existe uma aceleração (desaceleração) da inflação.

  3. Exploro os critérios do pacto de estabilidade e crescimento no contexto da União Europeia e sua evolução, relacionando-os com os desempenhos das economias nacionais, sendo capaz de, usando modelos económicos/financeiros, estabelecer medidas tendo em vista metas ou diagnosticar causas de desvio relativamente a essas metas.






Grande Depressão (anos 30)



Sociedade: Actuo no sistema económico, monetário e financeiro, reconhecendo novos problemas e oportunidades geradas pelas interacções que se estabelecem a nível global, e em particular, no contexto da União Europeia, e seus efeitos no bem-estar e progresso social.

Tecnologia: Actuo ao nível das tecnologias relacionadas com o conhecimento e a segurança de diferentes meios de transacção e na comunicação com instituições económicas e financeiras.

Ciência: Actuo com conhecimento dos indicadores macroeconómicos tendo em conta que os problemas económicos envolvem politicas monetárias, e considerando a utilização de modelos matemáticos que permitam simular e prever diversas situações.

Sem comentários: