sexta-feira, 29 de agosto de 2008

NG - Tecnologias de Informação e Comunicação (DR4)

DR4 - Redes e Tecnologias
__________________________________________________________

Relacionar a evolução das redes tecnológicas com as redes sociais.
__________________________________________________________


A Internet é uma das mais importantes invenções do último século. Uma excelente ferramenta para pesquisa de informação e para comunicação que entrou na vida de todos nós e da qual criámos alguma dependência: "O que seria de nós sem Internet?".


Chat's, Fóruns, Blogs, Email (Gmail; Hotmail, Portugalmail ...), Twitter, Youtube, Messenger, Google são algumas das ferramentas mais utilizadas e conceitos completamente desconhecidos (ou mesmo inexistentes) se fizermos uma pequena viagem a 10 ou 20 anos atrás. Vírus, Spams, Trojans, Malwares, Worms, Cavalos de Tróia são outros conceitos que chegaram com a difusão da Internet e os quais preferíamos não conhecer.
Um tema actual e presente na vida de todos nós.
--
Tópicos para Reflexão:
  • Identifico diferenças da internet relativamente a instrumentos anteriores de comunicação, em particular, os meios de comunicação de massas.
  • Relaciono a informação da Internet com estratégias diferenciadas de diversas entidades e actores que a produzem.
  • Exploro o efeito da Internet nas configurações sociais enquanto processo especifico de apropriação das tecnologias pelas populações (por exemplo, articulação entre redes tecnológicas e redes sociais).
  • Identifico a crescente oferta de redes para a utilização da Internet com ou sem fios (por exemplo, ISP tradicional, cabo, ADSL, WiFI, etc.).
  • Compreendo as tecnologias de funcionamento de uma rede para Internet (protocolos, velocidades, etc.).
  • Exploro a instalação de uma rede WiFi num computador portátil e sua configuração de acesso seguro (através dos modos WPA e WEP ou da atribuição de números de MAC das máquinas permitidas, por exemplo).
  • Identifico o bit (contracção das palavras “dígitos binários”), o byte, o sistema binário.
  • Compreendo a conversão do sistema binário para o sistema decimal (por exemplo, explicitando o significado de se usar uma ligação à rede a 512K, 1M, 2M, etc.).
  • Exploro a manipulação, transmissão e armazenamento de informação em código binário (por exemplo, utilizando o código ASCII para explicitar um nome, ou operando uma adição em lógica de Boole).
Numa "navegação" pela Internet, encontrei um vídeo que, pela sua relação com este tema, resolvi partilhar neste espaço.
-
"Este clip, publicado por Emília Miranda no blogue Netescrita, levanta a questão dos cuidados a ter com a utilização da Internet, realçando aspectos como a publicação de dados pessoais, fotografias, etc.
Destaco, também, o facto de aconselhar os adultos a navegar com os seus filhos e a deixar que os mais pequenos ensinem os pais a usar a Internet. É aqui que a Educação e Formação de Adultos assume um papel vital, na aproximação e valorização das gerações mais novas."
(in: Mittendo)


Vídeo: Cuidados a ter com a net




Sociedade: Actuo na sociedade da informação, identificando novas oportunidades de participação, bem como mecanismos de desigualdade, resultantes da (des)articulação entre redes tecnológicas e redes sociais.

Tecnologia: Actuo tendo em conta o desenvolvimento dos modos de transmissão de informação ao longo da História, relacionando-o com a evolução das estruturas sociais, a ocupação do território, etc. (por exemplo, a rede de televisão, a internet, etc.).

Ciência: Actuo em relação à evolução dos conhecimentos científicos na construção das redes (por exemplo, a estrutura celular dos telemóveis, o uso da base binária na internet).

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

NG - Urbanismo e Mobilidade (DR4)

DR4 - Mobilidades Locais e Globais
__________________________________________________

Reconhecer diferentes formas de mobilidade territorial – local e global – e sua evolução.
__________________________________________________

"Desde os século XII que os portugueses se começaram a espalhar pelo mundo. Primeiro fizeram-no pela Europa (Flandres, Inglaterra, França). A partir do século XV espalharam-se por África, para depois pela América, a seguir pela Ásia e a Oceania. Em todo o lado fundaram milhares de cidades, criaram vários países ou estiveram na origem da sua independência, ajudando-nos com a sua criatividade e trabalho a desenvolverem-se."


A história da emigração em Portugal confunde-se com a sua própria história. Desde os Descobrimentos que os Portugueses começaram a conquistar novos territórios a a povoá-los.

Após a década de 60, o crescimento europeu e a necessidade de reconstrução de alguns países europeus, aliada ao regime ditatorial que se fazia sentir, mudaram o rumo das migrações e transformaram os países europeus em pólos atractivos para milhares de portugueses.

Actualmente, com a melhoria das condições económicas, Portugal deixa de ser um país repulsivo e passa a ser um país atractivo para vários imigrantes oriundos, essencialmente, dos países do Leste Europeu, África e Brasil.
O perfil/qualificação do emigrante actual é diferente do emigrante da década de 60. A qualificação, os destinos e as razões que os levam a deslocar-se sofreram algumas alterações.


No entanto, as deslocações não se verificam apenas entre países. Verificamos que dentro das fronteiras a situação é semelhante: regiões atractivas vs. regiões repulsivas; a desertificação do interior vs. a saturação das regiões do litoral.
As mobilidades globais ou as mobilidades locais acabam por nos tocar directa ou indirectamente e faz-nos reflectir sobre as razões dessa deslocação e sobre as eventuais consequências a curto, médio e longo prazo.

Um tema interessante, com uma forte ligação à história de vida de todos nós. Uma reflexão para o final de um mês, onde emigrantes regressam ao país de origem para visitar os seus familiares.
--- --- ---
Tópicos de exploração:
  • Identifico fluxos migratórios importantes (de entrada e saída) verificados em Portugal no século XX;
  • Relaciono esses fluxos migratórios com estruturas de oportunidades (económicas, políticas e culturais) muito assimétricas entre regiões e países.
  • Exploro características dos pólos de atracção de população (regiões em expansão) e dos pólos de repulsão (regiões deprimidas).
  • Identifico os meios de transporte utilizados nas migrações ao longo dos tempos.
  • Compreendo as alterações dos custos e tempos de transporte na estrutura das migrações (locais de origem, períodos de retorno a casa, etc.).
  • Exploro a relação entre a evolução dos meios de transporte, as evoluções tecnológicas e as configurações das migrações efectuadas (por exemplo, as alterações nos casos das migrações sazonais entre países).
  • Identifico espécies migratórias no reino animal.
  • Relaciono essas migrações com dinâmicas do ecossistema (climáticas, recursos alimentares, reprodução, etc.).
  • Exploro formas de intervenção humana que alterando o equilíbrio do ecossistema interferem nos processos migratórios.


    Video You-Tube: Migração




Sociedade: Actuo em contextos interculturais, considerando os fluxos migratórios das populações e o êxodo rural como resultado de desigualdades económicas, culturais e/ou políticas, mas geradores também de processos de (re)construção identitária e de “descoberta do outro”.

Tecnologia: Actuo compreendendo o papel da evolução tecnológica como condicionante das mobilidades, quer ao nível dos transportes e comunicações quer ao nível de possibilidades de valorização profissional.

Ciência: Actuo tendo em conta as condições que levam às mobilidades no reino animal, em geral, (condições ambientais, de reprodução e outras) e nas populações humanas em particular (condições económicas, étnicas, políticas e outras) e no sentido de reconhecer os diferentes fluxos e relações entre variáveis através do tratamento estatístico de informação.